COS

Cirurgias Plásticas Gengivais

By 13 de dezembro de 2012 No Comments

Cirurgias Plásticas Gengivais visam corrigir defeitos gengivais e de tecidos moles em regiões que apresentam algum tipo de comprometimento estético. Os defeitos que mais incomodam os

pacientes são retrações gengivais, alterações de papilas interdentais, perdas de altura e espessura em áreas que foram submetidas a extrações e tecidos moles insatisfatórios ao redor dos implantes.

IMG_3709Quando são indicadas e quais os requisitos para poder submeter-se a uma cirurgia plástica?

A indicação principal se dá quando o defeito altera a harmonia do sorriso do paciente. Como requisito obrigatório, exige-se saúde bucal. Doenças periodontais, cáries, problemas endodônticos, entre outros, devem ser tratados antes de qualquer cirurgia estética.

Por que são necessários enxertos gengivais para recobrir raízes?

A razão principal é estética, especialmente quando o paciente mostra a raiz ao sorrir ou ao falar. O enxerto também pode ser indicado em raízes que apresentam sensibilidade às variações de temperatura.

De onde são retirados os enxertos?

As técnicas que apresentam melhores resultados estéticos são aquelas que utilizam enxertos retirados do palato do próprio paciente, chamados de enxertos subepiteliais, pois utiliza-se apenas uma delicada camada de tecido que fica embaixo do epitélio. Existem também biomateriais sintéticos que também funcionam de forma semelhante e podem ser utilizados em alguns casos.

E se houver excesso de gengivas?

É comum principalmente em jovens o excesso de gengivas deixando os dentes muito pequenos e com formato irregular. Nesses casos é possível realizar o procedimento de gengivectomia com laser cirúrgico, o que torna o procedimento mais sem sangramento, pontos e com um pós operatório muito mais rápido e tranquilo.

Por que é necessário aumentar os rebordos que sofreram extrações?

É comum, após as exodontias (extrações dentárias), haver uma reabsorção óssea e gengival na área ocupada pela raiz, gerando um defeito na anatomia do rebordo. Quando há necessidade de recuperar os tecidos reabsorvidos, utilizam-se enxertos que ajudam a dar um caráter mais natural à prótese que irá recuperar a área desdentada. Eles também podem ser retirados do próprio paciente de outras áreas da boca, ou utilizando biomateriais sintéticos, ou até uma combinação de ambos em técnicas mais complexas.

E quanto à dor pós-operatória e ao tempo de recuperação?

As técnicas mais recentes, além de oferecerem ótimos resultados estéticos, proporcionam um pós-operatório com pouquíssimo desconforto ao paciente. Normalmente, o paciente já pode trabalhar no dia seguinte à cirurgia, desde que evite esforços físicos e evite traumatizar a região operada.

Fonte: Revista APCD

WhatsApp Chat
Enviar
Translate »