COS

Saúde oral traz melhor qualidade de vida

By 18 de março de 2016 No Comments

Pesquisa britânica indica que pacientes valorizam problemas da boca.
Três em cada quatro britânicos afirmam que a saúde dos dentes e das gengivas tem um impacto significativo sobre a qualidade de vida.

De acordo com a maioria dos entrevistados (cerca de dois terços), a saúde oral é muito importante para a aparência, conforto e alimentação. Pouco menos da metade dos participantes do estudo afirmou ainda que a saúde da boca era um fator que influenciava a autoconfiança, a vida social e as relações amorosas.

Colman McGrath, professor de periodontia e de saúde pública da Universidade de Hong-Kong, apresentou esses resultados num estudo publicado na última edição do British Dental Journal. “Pela primeira vez, consideramos não apenas os efeitos negativos, mas também os aspectos positivos da saúde oral num estudo nacional” explicou o especialista.

Para os especialistas, o mais surpreendente foi o fato de três em cada quatro pessoas perceberem que a saúde dental e oral afeta a qualidade de vida.
Embora a saúde oral tenha melhorado muito na Grã-Bretanha nas últimas décadas, segundo os investigadores, as doenças das gengivas permanecem um importante problema de saúde. Os investigadores decidiram realizar o estudo atual, em parte, para avaliar as mudanças na percepção do público sobre relação a importância da higiene e da saúde oral. Profissionais da área entrevistaram 1.838 pessoas em toda a Grã-Bretanha. Os voluntários responderam a perguntas sobre o número de dentes originais que tinham e a influência que os dentes, gengivas e boca tinham sobre diversos aspectos da vida.

Na opinião de 66%, a saúde oral era importante em termos de aparência. Já 63% afirmaram que a saúde oral influenciava o conforto, enquanto 62% associaram sua importância ao ato de comer. A pesquisa revela ainda que 49% dos participantes sentiam que os dentes e as gengivas aumentavam a autoconfiança; 43% disseram que melhorava o convívio social, e 42%, os relacionamentos amorosos.
As pessoas que tinham menos de 20 dentes naturais foram mais propensas a apresentar uma redução na qualidade de vida relacionada à saúde oral, em comparação com o grupo com mais de 20 dentes próprios. McGrath e o co-autor do estudo, Raman Bedi, da Organização Mundial da Saúde (OMS), avaliaram que “o impacto da saúde oral sobre a qualidade de vida na Grã-Bretanha foi imenso” e que três quartos da população perceberam essa influência.

Segundo McGrath, os resultados do estudo confirmaram que a boca e os dentes têm uma forte influência sobre a opinião que as pessoas têm de si mesmas. “É uma das poucas partes do nosso corpo que usamos todo os dias e empregamos numa série de coisas – como comer, falar e sorrir”, explicou o investigador.

Fonte: www.alert-online.com

WhatsApp Chat
Enviar
Translate »